ouvir a nova música

ORCHESTRUTOPICA (OU) é um agrupamento de câmara dedicado à promoção da nova música, concebido como um "instrumento para compositores". Fundada em 2001 - pelos compositores Carlos Caires, José Júlio Lopes, Luís Tinoco e António Pinho Vargas, e o maestro Cesário Costa -, foi saudada com grande entusiasmo pelo público, pela crítica e pela comunidade musical.

Mais do que um grupo dedicado à nova música, de espírito independente de qualquer academismo, a OU apresenta-se como um espaço de diálogo e troca de experiências radicalmente diferente da atitude tradicional. Sempre que possível, os compositores representados nos programas da OU são chamadas a participar em forums abertos de discussão com músicos, artistas e público. A OU acredita firmemente na diversidade estética como a mais saudável postura; a sua filosofia de programação não reconhece fronteiras entre campos musicais e entre disciplinas artísticas; a sua vitalidade depende de uma visão aberta e abrangente no que respeita à criação musical e artística contemporâneas.

actividade

Ao longo de dez anos de actividade realizou mais de cem concertos e outras actividades, tendo apresentado mais de 500 obras, bem como atingiu uma qualidade artística e musical geralmente reconhecida e referenciada.

Desses concertos e acontecimentos, salientam-se alguns pontos mais altos da nossa programação: o concerto de lançamento - transmitido pela RTP/Antena 2 em directo, considerado pela imprensa como um dos melhores concertos de 2001; o concerto EXPRESSO ORIENTE, realizado em co-produção com a Fundação Oriente, no GA do CCB, dirigido pelo maestro chinês Yu Feng.

eventos

A ORCHESTRUTOPICA criou o Festival IN EXTREMIS - uma semana de concertos, conferências e outras actividades no CCB com a presença (a nosso convite) e participação da compositora finlandesa Kaija Saariaho, e um concerto dirigido pelo maestro finlandês, Tapio Tuomela; o concerto FEMINA (no Rivoli - Porto), totalmente constituido por obras de mulheres compositoras e dirigido pela maestrina Odaline de la Martinez; o concerto FOR SAMUEL BECKET, incluído no Festival Morton Feldman promovido pelo TNSC; a segunda edição doFestival IN EXTREMIS com a presença da compositora sueca Karin Rehnqvist e a estreia de uma obra encomendada pela OU com o apoio financeiro da FCG; o concerto METROPOLIS com a participação de Christoph Anders; o concerto SINAIS :: MENSAGENS em que apresentamos duas obras fundamentais do século XX de Ligeti e de Kurtag ("Concerto para Violoncelo" e "Message from the late Ms Troussova"), com a soprano alemã Julia Hennings.

festivais

Para além disso, a ORCHESTRUTOPICA tem-se apresentado também, nomeadamente, em Mafra (Festival de Mafra), Cascais (Festival de Música do Estoril) e Castelo Branco, na inauguração da Casa da Música do Porto e na iniciativa Faro Capital Nacional da Cultura.

A ORCHESTRUTOPICA apresentou-se no Atlantic Waves Festival, em Londres, no dia 8 de Outubro de 2004, com um concerto na Purcell Room; no Festival de Música de Dresden (Dresdner Musik Festspiele), em Dresden, na Alemanha, no dia 27 de Maio de 2005; e no Festival ENSEMS, de València, Espanha (Maio de 2010).

reportório

Nos concertos que já realizou, a OU interpretou inúmeras obras encomendadas a compositores portugueses em estreia absoluta e primeiras audições em Portugal de compositores estrangeiros (incluindo a estreia mundial de uma dezena de óperas de compositores portugueses), tendo podido contar até agora com a colaboração de maestros e solistas de renome internacional, como os maestros Yu Feng, David Alan Miller, Odaline de la Martinez, Tapio Tuomela, Fabián Panisello, Olivier Cuendet, Joan Cerveró, as sopranos Nicole Tibbels, Yeree Suh, Sofia Sandén, Ulrika Bodén, Monique Krüs e Julia Henning e o violinista sueco Fredrik Burstedt, entre outros.

concertos

A OU apresentou-se em praticamente todas as salas importantes de Lisboa e Porto: CCB, CULTURGEST, Teatro da Trindade, Teatro Camões, Teatro Nacional de São Carlos, Rivoli - Teatro Municipal Porto, Casa da Música (Porto), Auditório de Serralves (Porto), Grande Auditório da FCG, Sala Polivalente do CAM, FCG, e outros noutros espaços institucionais.

apoios

A ORCHESTRUTOPICA beneficiou de um subsídio plurianual da Secretaria de Estado da Cultura / Direcção-Geral das Artes (2005/2008 – 2009/2012). "Orquestra em residência" no CCB (2007-2011).

A ORCHESTRUTOPICA é membro e fundador da EEN (European Ensembles Network), com sede em Oslo.